(62) 3922 3044      contato@centi.com.br

AS EMPRESAS CONTÁBEIS E A CRISE BRASILEIRA

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

É indiscutível a crise que vivemos em nosso país, pouco dinheiro circulando no mercado, empresas fechando, negócios diminuindo de tamanho e falta de perspectiva para um futuro próximo. E onde ficam as empresas contábeis nesse cenário?

Em primeiro lugar precisamos lembrar que o mundo contábil vem passando por grandes transformações técnicas e de mercado. Nos últimos anos tivemos a entrada em vigor dos SPEDs, novas obrigações acessórias exigidas pelo fisco, procedimentos que devem ser refeitos, IFRS (padrão internacional de contabilidade) e por ai vai. Olhando por outro ângulo, temos também grandes modificações no mercado, tais como empresas se capacitando, operações se automatizando, entrada no mercado das contabilidades on-line, distanciamento da teoria par5a a prática, entrada de grupos internacionais nesse mercado, etc.
E a pergunta se repete: Como ficam as empresas contábeis nesse turbilhão de emoções profissionais? É difícil saber o que fazer e como conduzir esse processo. Vemos muitos empresários contábeis, principalmente os pequenos, em uma grande dúvida de qual caminho seguir. Aumento o escritório (não gosto desse termo, acho empresa melhor), vendo para um escritório maior, faço uma fusão, diminuo de tamanho e consequentemente os custos. Não é fácil saber o que fazer.
Inicialmente precisamos entender que o mercado das empresas contábeis está vivendo uma fase de grandes modificações e ajustes. É um mercado conceitualmente tradicional e está se modernizando agora em uma velocidade incrível, pois passou muitas décadas com suas operações estagnadas. Vamos olhar o mercado como um todo, pois as empresas estão se profissionalizando e automatizando suas operações, para ter menos custos de operação e produção e uma maior eficiência no mercado.
Um bom exemplo são os bancos na década de 80 que tiveram que realizar investimentos gigantes para automatizar seus processos e se adaptar aos novos tempos que exigiam essa postura. O mercado contábil está vivendo exatamente um momento semelhante e vão precisar se adaptar a essa nova realidade de automação de processos com softwares de gestão virtuais que incorporem todas as suas rotinas.
Os empresários contábeis de uma forma geral (existem exceções) são muito tradicionais, até por conta da sua questão técnica, que os obriga a ter uma visão conservadora para não correr o risco do erro. Mas o mundo empresarial é diferente e nesse caso precisamos separar bem o profissional do empresário contábil. Essa discussão não é nova, mas vem mudando de caminho. Na década de 80, por exemplo, era a utilização de software ao invés a escrituração manual e os controles e descontroles por conta da alta inflação, em 90 a informatização efetiva e integração entre sistemas, em 2000 a integração entre setores e processos e neste momento, a virtualização.
Então pensemos um pouco, porque automatizar, integrar e virtualizar se a contabilidade é a mesma em todos esses casos. Muito simples, pois a questão não é técnica, mas sim empresarial, de gestão. A diferença é ter maior velocidade, menor custo, reduzir riscos e consequentemente maior satisfação do cliente.
Atualizar uma empresa contábil e suas operações não é tarefa simples, principalmente se uma empresa está atrasada nesse processo. Mas isso é vital. Se alguém acha que vai permanecer no mercado com operações defasadas, é um engano. Não se desespere se estiver atrasado, somente terá que correr e se esforçar um pouco mais. Mas e agora, não tenho recursos e preciso atualizar minha empresa. Muito simples, volte a olhar o mercado em geral, as empresas em geral se fundem, compram, são vendidas, etc.
A pergunta que fica é o que será melhor? Ser um gestor bem remunerado que uma organização forte e sólida, com bons rendimentos ou seu dono de um escritório contábil aos trancos e barrancos.
Se você não tem condições de se modernizar e virtualizar suas operações, uma alternativa viável é a fusão com outras pequenas empresas contábeis, o que proporciona inúmeras vantagens, como redução de custos, centralização de seus gestores nas suas melhores competências e otimização de processos. Existem vários casos de grande sucesso nessa área. Muitas vezes vários empresários contábeis ficam presos às suas empresas, com discursos do tipo: Fui eu que fundei, comecei do zero, veio de família. Isso não é bom, pois todos esses discursos são limitadores de negócio e tornam a visão do mercado totalmente míope.
E a crise no nosso país? A crise é somente mais um obstáculo no nosso caminho empresarial. Esse ambiente de maior dificuldade requer maior atenção, velocidade, criatividade e inovação. Muito cuidado com suas finanças e agora não é hora de se endividar. Baixar honorários tem sido uma constante, mas será que os seus custos estão compatíveis com essas reduções?
Por fim, seja criativo, inclua novos serviços que o seu cliente precisa, inove, seja arrojado e olhe sempre a movimentação do mercado. Tenho certeza que adotando essas práticas você vai ter sucesso nos seus negócios. Faça diferente.

Boa sorte!

Comentários

Comentários estão desabilitados.