(62) 3922 3044      contato@centi.com.br

Módulo de Educação, voltado à professores, coordenadores e alunos

A educação é um direito fundamental que ajuda não só no desenvolvimento de um país, mas também de cada indivíduo. A importância vai além do aumento da renda individual ou de chances de emprego. Por meio da Educação, garantimos nosso desenvolvimento social, cultural e econômico. Um Brasil mais justo e avançado é um Brasil em que todos possam chegar onde sonham, e isso começa pela educação, com a ajuda de professores, educadores e muitos outros envolvidos na educação. 

Dia 06 de agosto é o Dia Nacional dos Profissionais da Educação e a Centi sempre se preocupou com a qualidade de vida desses profissionais por sabermos o quanto é difícil gerenciar o tempo entre as atividades de classe, elaboração de aulas e correção de provas e lançamento de frequência. Diante desse cenário as ferramentas tecnológicas se tornam uma grande aliada otimizando todas as tarefas que são realizadas pelos educadores.

Pensando nisso, a Centi criou algumas ferramentas com interface interativa, integrada com o sistema Centi:

  • Portal do Professor
  • Portal do Coordenador
  • Portal do Aluno.

Estas ferramentas que vieram para auxiliar a todos envolvidos no processo educacional,  sendo desenvolvidos utilizando técnicas de UX (User Experience ou Experiência do usuário) para otimizar e informatizar processos, eliminando a necessidade de preenchimentos manuais e permitindo um acompanhamento mais assertivo e personalizado do desenvolvimento da escola e dos alunos.

Portal do Professor

O Portal do Professor foi desenvolvido para otimizar o trabalho do educador, auxiliando em atividades como planejamento e organização do conteúdo que será ministrado em sala de aula, controle de faltas e frequência dos alunos, lançamento de avaliações e notas. 

O lançamento de notas pode ser realizado no formato numérico ou ficha de acompanhamento bimestral e pode ser selecionado tanto na opção anual como semestral. A fim de facilitar a análise de desempenho de cada um dos alunos, o docente também consegue emitir relatórios diários e fichas de acompanhamentos bimestral.

Portal do Coordenador

Já o Portal do Coordenador permite um controle e uma gestão mais assertiva, visto que com ele é possível ter acesso, em tempo real, de todo o planejamento de aula e do conteúdo que será ministrado. 

O coordenador também poderá acessar o percentual de faltas, o controle das turmas, os relatórios referentes ao livro de matrículas, o diário e realizar o mapeamento das notas e do desempenho individual de cada aluno. 

Portal do Aluno

O Portal do Aluno, é voltado ao acompanhamento de notas, frequência e mesmo de atividades extras fornecidas pelos educadores, o que vem sendo muito utilizado neste momento de pandemia. 

Se você precisa melhorar a gestão e a performance da sua escola, invista em um software focado na área da educação. Entre em contato com o nosso suporte através do WhatsApp ou do telefone 62 3922-3044 em caso de dúvida ou para uma demonstração.

#DiaNacionalDoProfissionalDaEducação #FiqueBem #FiqueEmCasa

Leia mais

Colare Pessoal: Prazo final para envio dos cargos

Em fevereiro de 2020 iniciou os envios de dados da folha de pagamento para o Tribunal de Contas dos Municípios através da plataforma Colare. No dia 08/06, o Tribunal de Contas dos Municípios do Estado de Goiás (TCM/GO) publicou em diário oficial na edição nº 1395 Ano VIII a Instrução Normativa 006/2020 que dispõe sobre prazos para envios de alguns conceitos, entre eles o envio da legislação..

Prazos:

Art. 1º Para fins de emissão de certidão pelo TCMGO, considera-se adimplente com a prestação de contas em relação aos envios de dados de pessoal no exercício de 2020:

I – até 30 de junho de 2020 o município que tenha enviado os dados completos referentes ao layout legislação; (Prazo vencido)

II – até 31 de julho de 2020 o município que tenha enviado os dados completos referentes ao layout legislação e layout cargos;

III – até 31 de agosto de 2020 o município que tenha enviado os dados completos referentes aos layouts legislação, cargos e verbas;

IV – até 30 de setembro de 2020 o município que tenha enviado os dados completos referentes aos layouts legislação, cargos, verbas, cadastro, admissão, vida funcional e subsídios dos agentes políticos; 

V – a partir de 1º de outubro de 2020 o envio de dados completos da folha de pagamento e todos os demais layouts, com exceção dos layouts aposentadoria e pensão.

+ Leia Instrução 006/2020 na íntegra
+ Diário Oficial de Contas, Edição nº 1395 Ano VIII

Ainda tem dúvidas sobre esta instrução e o que passa a valer? Entre em contato com nosso suporte através do telefone 62 3922-3044 e do nosso WhatsApp.

#FiqueBem #FiqueEmCasa

Leia mais

Funcionalidade: Conheça a tela de readaptação de servidores

Você sabe como funciona a readaptação para servidores públicos? Bem neste texto iremos apresentar alguns trechos dedicados à Reforma Previdenciária (PEC 06/2019). Trataremos especificamente do instituto da readaptação.

A readaptação encontra-se definida, em termos normativos, na Lei n.º 8.112/90 que dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais:

Art. 24. Readaptação é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental verificada em inspeção médica.

§1o Se julgado incapaz para o serviço público, o readaptando será aposentado.

§2oA readaptação será efetivada em cargo de atribuições afins, respeitada a habilitação exigida, nível de escolaridade e equivalência de vencimentos e, na hipótese de inexistência de cargo vago, o servidor exercerá suas atribuições como excedente, até a ocorrência de vaga.

A Reforma Previdenciária pretende introduzir o § 13 no art. 37 da Constituição Federal, que teria a seguinte redação:

§13. O servidor público titular de cargo efetivo poderá ser readaptado para exercício de cargo cujas atribuições e responsabilidades sejam compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental, confirmada por meio de perícia em saúde, enquanto permanecer nesta condição, desde que possua a habilitação e o nível de escolaridade exigidos para o cargo de destino, mantida a remuneração do cargo de origem.

E o que fizemos para ajudar as entidades?

Observando a necessidade dos municípios para cadastrar e informar as readaptações de servidores criou a tela “FP203 - Readaptação”. Com esta tela será possível lançar todas as readaptações de servidores de forma definitiva ou temporária a fim de cálculos funcionais ou até mesmo trocas de funções devido a readaptação. 

A Centi também cria a tela “FP204 - Cubo de readaptação” onde o cliente poderá customizar um relatório personalizado com as informações desejadas e criar relatórios com dados completos para apresentações dinâmicas. 

Quer saber mais sobre esta funcionalidade ou muitas outras? Basta entrar em contato com nosso suporte através do telefone 62 3922-3044 ou através do nosso WhatsApp

#FiqueBem #FiqueEmCasa

Leia mais

Colare Pessoal: Prazo final para envio de legislações

Em fevereiro de 2020 iniciou os envios de dados da folha de pagamento para o Tribunal de Contas dos Municípios através da plataforma Colare. No dia 08/06, o Tribunal de Contas dos Municípios do Estado de Goiás (TCM/GO) publicou em diário oficial na edição nº 1395 Ano VIII a Instrução Normativa 006/2020 que dispõe sobre prazos para envios de alguns conceitos, entre eles o envio da legislação..

Prazos:

Art. 1º Para fins de emissão de certidão pelo TCMGO, considera-se adimplente com a prestação de contas em relação aos envios de dados de pessoal no exercício de 2020:

I – até 30 de junho de 2020 o município que tenha enviado os dados completos referentes ao layout legislação;

II – até 31 de julho de 2020 o município que tenha enviado os dados completos referentes ao layout legislação e layout cargos;

III – até 31 de agosto de 2020 o município que tenha enviado os dados completos referentes aos layouts legislação, cargos e verbas;

IV – até 30 de setembro de 2020 o município que tenha enviado os dados completos referentes aos layouts legislação, cargos, verbas, cadastro, admissão, vida funcional e subsídios dos agentes políticos; 

V – a partir de 1º de outubro de 2020 o envio de dados completos da folha de pagamento e todos os demais layouts, com exceção dos layouts aposentadoria e pensão.

+ Leia Instrução 006/2020 na íntegra
+ Diário Oficial de Contas, Edição nº 1395 Ano VIII

Ainda tem dúvidas sobre esta instrução e o que passa a valer? Entre em contato com nosso suporte através do telefone 62 3922-3044 e do nosso WhatsApp.

#FiqueBem #FiqueEmCasa

Leia mais

5 dicas para criar uma folha de pagamento correta

Estar em dia com as obrigações trabalhistas e tributárias é essencial para o bom funcionamento e uma excelente gestão. Relações transparentes com órgãos federais e com os próprios servidores garantem, para além da satisfação entre as partes, que não se perca dinheiro pagando multas ou enfrentando ações judiciais.

Ainda que o gestor esteja em dia com suas obrigações, é importante também que os documentos oficiais que regem a relação entre empregador e colaborador sejam preenchidos corretamente — mesmo erros simples na elaboração da folha de pagamento do funcionário podem gerar problemas e prejuízos.

Pensando nisso, elaboramos algumas dicas para auxiliar melhor como organizar folha de pagamento e dando 5 dicas para fazê-lo da maneira correta, evitando, definitivamente, equívocos em seu processamento. 

1 - Mantenha um controle rígido da folha de ponto dos funcionários

De acordo com a Lei da Liberdade Econômica, sancionada em setembro de 2019, fica determinado que o ponto dos funcionários em empresas com mais de 20 colaboradores deve ser sempre controlado, sendo que o Ministério do Trabalho e Emprego traz em suas portarias os moldes que essa gestão deve seguir.

Fazer uma boa gestão do ponto dos funcionários, no entanto, é essencial não apenas para atender às determinações da lei, mas também para que o próprio gestor conheça o histórico de seus colaboradores, calcule descontos e bônus e conduza bancos de horas corretamente.

2 - Planeje com antecedência o que fará parte da folha de pagamento

O planejamento de processos também é importante para a elaboração de uma folha de pagamento coesa, mas, muitas vezes, é deixado de lado até mesmo por gestores experientes. Apesar de cansativa, a tarefa deve ser feita para que se diminua a chance de incorrer algum erro na elaboração do documento.

É preciso definir, assim, o que é importante para o gestor — como dados cadastrais e atividades que constarão na folha —, já que apenas desse modo o documento lhe será útil, bem como será possível definir o profissional responsável por cada etapa da confecção.

3 - Classifique os funcionários corretamente de acordo com a função

Uma boa folha de pagamento evita que o gestor fique vulnerável, uma vez que a documentação funciona como histórico da vida dos colaboradores. Ela também é útil para que se apurarem valores precisos nos casos de prestação de contas, pedidos de demissão, cálculo de férias, etc.

Logo, é importante que o gestor classifique corretamente seus funcionários e identifique a que categoria pertencem. Isso é extremamente importante, porque cada uma delas tem uma convenção coletiva própria, que pode ditar regras especiais a serem seguidas pelo gestor.

4 - Reveja gastos extras

Uma vez que todos os servidores já foram categorizados, é hora de repassar a folha de ponto de cada um deles e contabilizar o tempo trabalhado no mês, eventuais benefícios e horas extras a serem pagas. Faltas injustificadas devem ser descontadas e bancos de horas devem ser considerados.

Além disso, adicionais como de insalubridade ou periculosidade, bem como salário-família ou descanso semanal remunerado, também devem ser levados em consideração e creditados. Lembre-se de deixar a política de pagamento clara para qualquer leitor do documento compreendê-la facilmente.

5 - Dê atenção especial ao cálculo de impostos e descontos

Também é fundamental atentar para o cálculo do valor líquido a ser pago aos servidores, após a dedução de benefícios legais — a exemplo do vale-transporte — e contribuições regulamentares ou outros descontos em folha.

O cálculo da contribuição feita para o INSS deve ser realizado pelo gestor tendo como base a faixa salarial, sendo os valores retidos diretamente na fonte. Apontar os valores corretos na folha de pagamento é essencial para quem quer evitar problemas legais no futuro, sendo importante redobrar a atenção nesse sentido.

Dica extra - Não se esqueça do pagamento de benefícios especiais

Colocar na folha de pagamento valores de benefícios considerados especiais também é crucial para quem quer evitar erros — como é o caso de comissões, programa de participação nos lucros, licença-maternidade ou mesmo adicionais.

Novamente, vale ressaltar que sistemas informatizados e softwares personalizados são de grande valia para a organização de dados e o controle das rotinas do departamento pessoal como um todo, com segurança e agilidade. Dê preferência àqueles que trabalham com sistema em nuvem e permissões para acesso.

A Centi é esse sistema e muito mais. Um sistema totalmente na nuvem e web, podendo ser acessado de qualquer lugar do mundo. Conheça mais sobre nosso sistema, entre em contato conosco através do nosso suporte pelo número 62 3922-3044 ou por nosso WhatsApp.

#FiqueSeguro #FiqueEmCasa

Leia mais