(62) 3922 3044      contato@centi.com.br

Atualização das tabelas de INSS e Salário Família – 2019

Conforme publicação da Portaria Nº 9 de 15 de Janeiro de 2019, que dispõe sobre o reajuste dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS e dos demais valores constantes do Regulamento da Previdência Social - RPS, a partir de 1º de Janeiro de 2019 as tabelas de INSS e SALÁRIO FAMÍLIA foram reajustadas.

Tabela de INSS

tabela de inss 2019

Tabela do salário família

tabela do salario familia 2019

Para mais informações, acesse o Diário Oficial da União ou clique aqui.

Leia mais

Alterações nas notas de empenho

  centi 11_810x251

A partir de Janeiro, estarão disponíveis diversas novidades e funções que fazem parte dos processos de melhorias constantes desenvolvidas pela Centi. Entre estas melhorias cabe destacar as mudanças realizadas na tela “CO093 - Nota de empenho”.

O que vai mudar?

A primeira mudança a ser evidenciada é que agora não existirá a coleção “Fonte de recurso”, esta função passa a ficar disponível diretamente na tela principal, podendo informar a “Fonte de recurso” e o “Valor” de forma mais ágil, além de ser possível fazer “Suplementação automática”.

Imagem 01A segunda alteração a ser destacada é a opção para gerar o protocolo diretamente na tela de empenho de forma automática ou buscar um empenho que já foi cadastrado anteriormente, mas esta opção só estará disponível se for solicitada para a equipe de suporte a ativação de parâmetro específico.

Imagem 02

A terceira novidade é a opção para utilizar a fonte de recurso do próprio empenho, para fazer as ordens de pagamento sem ter a necessidade de ser informado manualmente, caso o usuário não queira utilizar a mesma fonte da nota de empenho, poderá ser informada manualmente.

Imagem 03

Por fim, a quarta novidade é que se requisitado ao suporte, os empenhos e liquidações podem ser atestados pelo Controle Interno, utilizando a tela “CI005 - Atestado de controle Interno”. Com isso a organização almejada pela gestão, torna-se mais eficaz. Imagem 04

Muitas outras novidades e funcionalidades foram e continuam a ser implementadas no sistema, entre em contato com o suporte se precisar de auxílio.

Equipe CENTI

Leia mais

O Compliance pode ajudar a administração pública?

O Compliance é o conjunto de atividades que auxiliam as organizações no cumprimento das normas legais que regem a atividade da instituição. Além disso, ele também almeja detectar e tratar qualquer tipo de desvio, inconformidade ou até mesmo falha acidental que prejudique a organização. Apesar das instituições públicas serem regulamentadas por inúmeras leis e possuírem deveres legais com a sociedade, é necessário investir em práticas como o Compliance, para que elas consigam permanecer de acordo com as leis que regulamentam a sua existência e exercício. Afinal, com os inúmeros escândalos de corrupção envolvendo a administração pública nos últimos anos, agir de maneira correta significa cativar no cidadão o sentimento de confiança em seus representantes. O primeiro passo para implantar o Compliance em um órgão é a definição de normas e processos que devem ser seguidos. No caso da instituição pública essa tarefa já foi cumprida e está organizada na lei que regulamenta o órgão, o que facilita a rotina para controle dos processos internos. Após essa definição é necessário escolher um colaborador responsável apenas para exercer essa função. Ele fiscaliza as atividades internas almejando encontrar irregularidades para as corrigir a tempo. Por fim, é essencial tornar públicas as ações e iniciativas relacionadas ao Compliance, através de uma comunicação transparente entre a administração pública e a sociedade, isso garante transparência para os gestor público e favorece a criação de vínculos entre o servidor e a sociedade.

Leia mais

Como funciona a cobrança do IPTU?

O IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) é um tributo que incide sobre a propriedade imobiliária. Ele é arrecadado de todos os imóveis, comerciais ou não, que estejam localizados no município e a sua coleta é realizada pela administração pública municipal. Assim como o ITBI, ele também é calculado sobre o valor venal do bem. Isto é, o valor do imposto a ser pago é determinado a partir de uma estimativa realizada pelo poder público sobre o valor comercial do imóvel multiplicada pela alíquota do imposto aplicada no município. Essa estimativa leva em consideração o tamanho do terreno, a sua localização, a área construída e o tipo de acabamento da construção, para que desta maneira o montante despendido seja proporcional a localização e valorização da casa, apartamento ou sala comercial. A quitação do tributo pode ser efetuada à vista ou em até 10 parcelas, com pagamentos ao longo do ano de exercício do imposto. Quem opta pelo pagamento à vista pode receber um desconto de até 4%. Mas essa porcentagem varia de acordo com a legislação de cada município. Além disso, aposentados, pensionistas e receptores de benefícios permanentes do INSS, são isentos da realização do pagamento do tributo. Por fim, é válido lembrar que esse tributo possui como principal função, cobrir os custos relacionados à infraestrutura urbana como: iluminação pública, pavimentação das ruas, abastecimento de água e outros itens fundamentais para o nosso bem-estar. Por isso, ele é essencial para o bom funcionamento dos serviços essenciais do seu município.  

Leia mais

5 Passos para obter uma equipe mais produtiva

Não adianta fugir. A eficiência da administração pública está diretamente relacionada à produtividade das equipes que a compõem. Afinal ela é o fator determinante para que as demandas sejam atendidas com o menor tempo e eficiência possíveis. Por isso, sabendo da importância de uma equipe altamente produtiva para o sucesso da gestão municipal. Hoje apresentamos cinco passos essenciais para aumentar a produtividade da sua equipe.   01- Motivação: A produtividade está intrinsecamente ligada à motivação do servidor. Mas em alguns casos, o exercício da mesma atividade por um longo período acaba desmotivando-o. Por consequência, executa as tarefas solicitadas com morosidade e desatenção, por isso, o primeiro passo é conversar com cada servidor, verificar a atividade que ele mais se identifica e remanejá-lo para essa função. 02- Determine metas: Sim é comum determinar metas na administração pública, no entanto é necessário delimitá-las de maneira racional, levando em consideração os recursos (humanos e financeiros) e o tempo que será gasto para a execução da meta. Quando ela é alcançada, pode gerar o sentimento de satisfação na equipe, o que favorece o cumprimento de todas as outras ações planejadas. 03- Se livre das distrações: Tanto as grandes quanto as pequenas podem tirar o foco da equipe da execução da atividade principal. Por isso, fique atento ao uso dos celulares, computadores e qualquer outro equipamento ou instrumento que possa impulsionar a procrastinação. A tecnologia na maioria das vezes é uma boa aliada, mas em excesso pode prejudicar a produtividade do grupo. 04- Avalie durante e não apenas no fim: É comum deixar as avaliações de produtividade apenas para o fim do ano. No entanto, avaliações contínuas podem ajudar a equipe na verificação do que está errado e assim sanar vícios que funcionem como empecilho para que ela alcance o seu rendimento máximo. 05- Valorize o cumprimento das metas: Valorize os resultados alcançados por sua equipe e sempre os bonifique quando uma meta for alcançada com sucesso. A premiação não precisa acontecer necessariamente com dinheiro, em alguns casos, um dia de folga pode funcionar muito bem.   Gostou dessas dicas e de alguma forma podem auxiliar na sua gestão? Compartilhe essas ideias com sua equipe, discuta ideias para tornar todo o processo agradável para todos os envolvidos.

Leia mais