(62) 3922 3044      contato@centi.com.br

Pragas virtuais – O vírus não está sozinho

Todos os dias nos deparamos com inúmeras pragas virtuais. Elas vêm por e-mail, por um link desconhecido ou por um pendrive de um colega do trabalho. Não importa como, elas sempre estão por perto apenas esperando uma oportunidade para se alojar no seu computador e provocar um grande estrago. Já se tornou um hábito chamar qualquer praga virtual de vírus, no entanto as coisas não funcionam dessa maneira. Existem outros tipos que podem se infiltrar no eu computador. Hoje vamos conhecer cada um deles e descobrir como você pode se prevenir. Afinal o que é Vírus? O termo vírus é uma nomenclatura genérica que surgiu nos anos 90 para designar qualquer ameaça que interfira na segurança dos dados de um computador. Atualmente a palavra nomeia programas maliciosos que se propagam na máquina após a execução do arquivo hospedeiro. Com certeza você já deve ter recebido um e-mail solicitando a atualização do programa ou aplicativo de internet banking do seu banco. Se você não quer cair nessa cilada ligue para o seu gerente primeiro, verifique se a informação é verdadeira e só assim realize o download. Como Posso Evitar? Como tudo sempre evolui. As ameaças também evoluíram e com o tempo o termo se tornou insuficiente para classificar as novas pragas como os Malwares. Eles são classificados como todo e qualquer tipo de programa que seja capaz de executar ações sozinho de maneira indesejada causando qualquer tipo de dano ou prejuízo ao usuário. Se você não quer se tornar mais uma vítima o melhor caminho é a prevenção. Mantenha sempre todos os programas do seu computador atualizados, instale mecanismos de segurança, tome cuidado com todos os links que clicar e principalmente só fala o download de programas que você tem certeza que são seguros. Isso fará toda diferença na segurança dos seus dados.          

Leia mais

6 Passos para realizar uma reunião de brainstorm com sucesso

A tradução literal da palavra brainstorm para o português é “chuva de ideias”. Nessa técnica reúne-se as pessoas com mais experiência ou com mais conhecimento sobre o assunto para pensarem juntas em soluções criativas para a resolução de um problema. A técnica funciona muito bem quando o objetivo é fazer aquele colaborador tímido expressar o seu ponto de vista ou quando é necessário extrair o conhecimento de colaboradores com mais tempo de casa. Afinal ela dá liberdade para que todos contribuam. Se você já tentou implementar essa técnica na sua empresa ou instituição, mas ainda não sabe como fazer, confira abaixo os seis passos que você deve seguir para a garantir a realização de uma reunião brainstorm de sucesso. 1. Reuniões curtas O brainstorm sempre começa com uma reunião curta de no máximo 30 minutos para que todos mantenham o foco no assunto principal. Como o objetivo é falar todas as ideias que vêm a mente para solucionar o problema em muitos casos é comum que com o passar do tempo a pessoas se dispersem, por isso fique de olho no relógio para que o tempo não ultrapasse muito essa marca. 2. Incentive ideias malucas Quando os colaboradores se sentem livres para dar qualquer ideia “maluca” eles se sentem indiretamente autorizados a pensar e a se expressar sem se sentirem reprimidos pela opinião dos outros o que automaticamente dá espaço para que ideias coerentes e mais realistas também surjam. 3. Dê espaço para todos. Tente estimular a participação das pessoas mais tímidas do grupo. Ofereça oportunidades de fala e sempre pergunte a opinião delas a respeito da ideia que está sendo discutida. Ela pode oferecer um ponto de vista interessante que ainda não foi discutido pelo grupo. 4. Deixe as críticas para depois Criticar as ideias dos seus colegas e até mesmo as suas pode ocasionar um bloqueio criativo em todo grupo o que não é nada produtivo para o processo de brainstorm. 5. Escolha alguns fiscais para te auxiliar na tarefa Como a proposta é não reprimir nenhuma ideia, em muitos casos, podem aparecer sugestões que talvez sejam muito caras ou extremamente difíceis de serem executadas. Para facilitar o processo “garimpo” das soluções, eleja alguns participantes como fiscais. Eles são responsáveis por verificar a viabilidade de cada ideia e só repassam aquelas que realmente podem ser executadas. 6. Não tenha medo de se inspirar na ideia dos outros. O ditado que afirma que “duas cabeças pensam melhor do que uma” está certo. A técnica do brainstorm tem como principal objetivo favorecer o processo de criação em conjunto, por isso não tenha medo de aprimorar a ideia do outro para alcançar a solução esperada.  

Leia mais

O que é Machine Learning?

Machine Learning ou Aprendizado de Máquina é o termo utilizado para nomear a capacidade de um computador aprender sozinho. Essa habilidade é a base de várias invenções atuais como veículos que não precisam de motoristas para serem guiados e programas de detecção de fraude em cartões crédito. Em resumo “ela é um tipo de inteligência artificial que permite que os computadores tomem decisões baseadas em algoritmos que reconhecem padrões e se tornam capazes de fazer previsões” - Marcelo Taz (2017).

O termo nasceu durante uma conferência em 1956. Mas desde 1952 o engenheiro Arthur Samuel já realizava experimentos relacionados ao tema. Ele escreveu um programa que tornava possível um computador jogar damas com um humano. E a cada novo jogo o computador aprendia novas estratégias e por consequência melhorava a sua habilidade.

Com o tempo o Aprendizado de Máquina foi inserido em diversas tecnologias que utilizamos no cotidiano. Um exemplo, são as rotas sugeridas no Waze, as postagens indicadas para você no Instagram, Facebook e Twitter. Os vídeos recomendados no Youtube e até mesmo os anúncios que você vê diariamente no Gmail. Em todos eles a máquina utilizou essa ferramenta para desenvolver a ação.

Mas se você achou que tudo acontecia de modo exato se enganou completamente. Ao contrário dos humanos, as máquinas não possuem nenhum medo de errar e para acertar realizam inúmeros testes de tentativa e erro. Quando conseguem acertar compartilham o resultado imediatamente umas com as outras (a gente deveria seguir mais vezes o exemplo delas).

Se você se interessou pelo assunto recomendamos que você assista o Vídeo da Data Science Brigade sobre o tema.

Leia mais

Como a realidade aumentada pode melhorar a administração?

12_810x251

Em 2016 foi lançado o jogo Pokémon Go. Ele prometia transportar através da tecnologia os cenários, dinâmicas e personagens da história original para a “realidade”. Tudo isso para que você viva a experiência de se tornar um mestre Pokémon, aí mesmo, na sua casa.

Apesar de criativo, o jogo não foi inovador pois utilizou uma tecnologia que já existe há algum tempo: a Realidade Aumentada (RA). Nela, o usuário “permanece” no mundo real, mas a tecnologia se encarrega de complementar a realidade com alguns elementos virtuais. Ela funciona de maneira completamente diferente da Realidade Virtual (VR), pois se nesta última o usuário é transportado para um novo universo com o auxílio de óculos especiais e outros equipamentos. Na Realidade Aumentada, a dimensão em que ele está é apenas complementada pela ferramenta.

Essa tecnologia já é muito utilizada no marketing como forma de estimular a interesse do consumidor. E também na arte, como uma estratégia para imersão do apreciador em algumas obras expostas em museus. Mas existem outras aplicações da tecnologia que podem melhorar a vida do administrador dentro da empresa. Ficou curioso? Confira três aplicações práticas da realidade aumentada na administração e gestão de recursos humanos.

01- Treinamento de novos colaboradores.

Com a Realidade Aumentada se tornará muito mais fácil treinar um novo colaborador. Como uma das principais plataformas dessa tecnologia são os smartphones. O funcionário poderá simplesmente apontar a câmera do celular para um determinado ambiente da instituição e conseguirá assistir à uma pequena animação sobre a função daquele departamento. Além disso, os treinamentos se tornaram mais atrativos graças a interatividade dessa ferramenta.

02- Diga adeus para o crachá

Essa tecnologia também vai facilitar a vida dos profissionais de Recursos Humanos. Com a Realidade Aumentada será possível dar adeus aos incômodos crachás e identificar os colaboradores apenas direcionando a câmera do smartphone para uma pulseira ou algum item criado pela instituição para este fim.

03- Inclusão de pessoas deficientes

A Realidade Aumentada também abre portas para outras possibilidades como a inclusão de deficientes físicos no mercado de trabalho. Aquele profissional que possui conhecimento técnico, mas não consegue executar a atividade por algum impedimento físico pode ministrar instruções para que outro colaborador execute a atividade. Unindo o seu conhecimento a capacidade física do outro. Diminuindo as barreiras para o deficiente físico.

Equipe CENTI.

Leia mais

Como melhorar o seu tipo de liderança?

 

11_810x251

Ao longo da nossa trajetória, nos deparamos com vários líderes. Isso acontece, pois desde o início da vida sempre contamos com a presença dessa figura para unir e motivar várias pessoas por um objetivo em comum.

A quantidade de líderes que encontramos diariamente nos faz esquecer que a origem da função de cada um não vem da mesma motivação ou oportunidade. Alguns por exemplo, foram instituídos por uma votação como acontece com o Presidente da República ou até mesmo com o representante de sala da sua turma da faculdade. Outros por um status social como o padre ou pastor da sua igreja. Além deles, também existem os líderes que assumiram essa posição por causa da sua função em uma empresa, eles exercem a liderança para garantir que os membros da equipe executem a tarefa solicitada pela organização, da melhor maneira possível.

Normalmente, eles se destacam por conhecerem muito bem a instituição em que trabalham e em alguns casos dominar com maestria a principal tarefa executada pela equipe que lideram. No entanto, ao contrário do que normalmente acontece no primeiro e no segundo caso, nem sempre esse líder possui um talento nato para a liderança. O que pode dificultar e muito a tarefa dele de guiar a equipe para os objetivos da organização.

ESTILOS DE LIDERANÇA

Uma forma de sanar esse problema é descobrir qual é o seu estilo de liderança e desenvolver uma estratégia para melhorá-lo.

Segundo a Administração estilo de liderança é a maneira como o líder exerce a sua função dentro de um grupo. De acordo com o conceito existem três estilos: o estilo autocrático, o liberal e o situacional.

No estilo autocrático encontramos um líder centralizador. Ele gosta de tomar as decisões sozinho e raramente oferece espaço para que alguém dê alguma opinião. Os membros dessa equipe podem se sentir desmotivados com facilidade pois não se sentem integrados na organização. Se você se enquadra nesse perfil, uma boa sugestão é aprender a ouvir mais. Dê espaço para que os colaboradores deem opiniões e aprenda que nem sempre você estará certo. Esse pode ser o segredo para engajar quem está sob a sua liderança.

O estilo liberal é exatamente o oposto, aqui o líder acredita que os colaboradores já são maduros o suficiente para saberem o que estão fazendo, por isso, ele deixa as coisas correrem de um jeito mais solto, com cobranças nulas ou quase inexistentes. Com o passar do tempo quando os membros percebem que não precisam prestar contas de suas atividades, o rendimento da equipe cai quase que por completo. Nesse caso, a sugestão para o líder é bem simples. Respire fundo, observe as métricas e comece a cobrar resultados da sua equipe baseado nos principais indicadores de qualidade da sua organização. Não tenha medo, a sua equipe de certa forma espera essa postura de você.

Por fim, encontramos o estilo situacional. Nele o líder alcançou o equilíbrio. Aqui ele já sabe que deve se posicionar de maneira diferente de acordo com cada situação e pessoa. Se você já chegou nesse estágio provavelmente já possui alguma experiência como líder. Por isso a dica aqui é bem simples, não se acomode. Um bom líder busca sempre aprender sobre novas estratégias, ferramentas e tecnologias para não ser pego de surpresa. Tente se manter “antenado” nas novidades para trilhar um caminho de sucesso.

Equipe CENTI.

Leia mais